29/11/2019 às 10h56min - Atualizada em 29/11/2019 às 11h22min

GOVERNO ANUNCIA SISTEMA ALTERNATIVO PARA TRATAR O ESGOTO DE ARARAS

O sistema, que vai utilizar estruturas já existentes na ETE (Estação de Tratamento de Esgoto), vai custar cerca de R$ 200 mil, será adotado até o funcionamento da nova ETE e irá tratar 100% do esgoto coletado, com 70% de remoção de matéria orgânica

- Da redação
SECOM / PMA
G 1
Na manhã desta quinta-feira (28), A Prefeitura de Araras e o Saema (Serviço de Água e Esgoto do Município de Araras) anunciaram a implantação um sistema alternativo de tratamento para reduzir o despejo de dejetos e a poluição no Ribeirão das Araras e no Rio Mogi Guaçu.
 
O sistema, que vai utilizar estruturas já existentes na ETE (Estação de Tratamento de Esgoto), vai custar cerca de R$ 200 mil e será adotado até o funcionamento da nova ETE, que está em construção. Além disso, ele poderá ser utilizado nas manutenções da nova estação, e com isso não haverá interrupção no tratamento de esgoto.
 
O modelo alternativo vai utilizar as três lagoas desativadas da antiga estação, a estação elevatória que recebia o material dos emissários e o desarenador que compõe o pré-tratamento. O Saema fará a tubulação para interligar as estruturas e a aquisição de aeradores para o tratamento aeróbio, que será combinado com o anaeróbio nas lagoas.
 
Este sistema irá tratar 100% do esgoto coletado, com 70% de remoção de matéria orgânica. O projeto já havia sido apresentado em anos anteriores aos órgãos ambientais do Estado de São Paulo, mas só agora foi autorizado por eles. Sem tratar o esgoto da cidade desde 2015, quando o antigo sistema entrou em colapso, a Estação de Tratamento de Esgoto está desativada. Desde então, o material é despejado diretamente no Ribeirão das Araras, um dos afluentes do Mogi Guaçu.
 
O prefeito Junior Franco (DEM) quando presidente do Saema (2017 e 2018), conseguiu junto ao Ministério das Cidades a aprovação do projeto da nova ETE e a articulação de uma verba federal. Os  investimentos somam R$ 23.684.572,54, dos quais R$ 21.302.155,70 são recursos federais, por meio do PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), e o restante é de contrapartida do município. As obras tiveram início em dezembro do ano passado e estão previstas para ser concluídas no final de 2020.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »

Quantas doses da vacina contra a covid-19 (coronavírus) você tomou?

0%
33.3%
66.7%
0%
FALE COM O INDEPENDENTE
Seja Bem-Vindo(a)!
Através deste canal você pode entrar em contato conosco, sugerir pautas, fazer reclamações, falar em nosso departamento comercial ou cadastrar-se para receber as notícias pelo Whatsapp.