08/01/2020 às 18h55min - Atualizada em 09/01/2020 às 00h09min

Centro de Bloqueio Neuromuscular do Hospital Santa Cruz destaca o uso da toxina botulínica em tratamentos terapêuticos

A substância é indicada para intervenção em doenças neurológicas e musculares

DINO
https://www.hospitalsantacruz.com.br
Toxina botulínica para terapia em doenças neurológicas e musculares

A toxina botulínica, popularmente conhecida como Botox®, é uma substância que atua no relaxamento muscular e auxilia na reabilitação motora, facilita a realização de outras terapias, como a fisioterapia, sempre oferecendo mais qualidade de vida aos pacientes.

O Centro de Bloqueio Neuromuscular do Hospital Santa Cruz (HSC) faz uso da toxina botulínica para auxiliar pacientes com estrabismo; espasticidade (rigidez muscular excessiva) como sequela de AVC - Acidente Vascular Cerebral; paralisia cerebral; esclerose múltipla; traumatismos cranianos e raquimedulares; distonias, que promovem contrações musculares intensas, com posturas anormais e muito dolorosas; blefaroespasmo, que são contrações involuntárias do músculo que controla as pálpebras, fazendo com que o paciente pisque incontrolavelmente; espasmo hemifacial; hiperidrose; incontinência urinária; enxaqueca; bruxismo; entre outros.

De acordo com o Dr. Cristiano Milani, neurologista responsável pelo Centro de Bloqueio Neuromuscular do Hospital Santa Cruz, a toxina botulínica é aconselhada para o tratamento de mais de 70 indicações médicas. "A atuação básica da toxina se relaciona ao bloqueio da capacidade que a célula muscular tem de se contrair, oferecendo ao paciente maior relaxamento de músculos rígidos ou que apresentam espasmos involuntários", destaca.

Para patologias como estrabismo, espasticidade, paralisia cerebral, esclerose múltipla, traumatismos, distonias, blefaroespasmo, enxaqueca, entre outros, a aplicação da toxina botulínica pode ser necessária, em média, a cada três ou quatro meses, pois o efeito é cíclico. Já para casos de hipersalivação e hiperidrose, que é um suor excessivo que pode ocorrer nas axilas, mãos, pés ou outras regiões do corpo, os benefícios do tratamento podem persistir por até seis meses.

De acordo com o Dr. Fernando Hayashi, fisiatra do HSC, o paciente pode agendar uma avaliação com os especialistas do Centro de Bloqueio Neuromuscular do Hospital Santa Cruz para realizar a aplicação da toxina botulínica.

A ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária - aprovou o uso da toxina botulínica para fins terapêuticos em 1992, inicialmente para pacientes com estrabismo. Como Instituição pioneira a oferecer este serviço especializado na rede privada, o Centro de Bloqueio Neuromuscular do Hospital Santa Cruz realiza as aplicações da toxina botulínica para todas as indicações neurológicas e musculares desde outubro de 2008.



Website: https://www.hospitalsantacruz.com.br
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Cadastre-se para receber as notícias pelo Whatsapp
Fale com O Independente
Obrigado pelo contato. Retornaremos em breve.