17/11/2020 às 21h33min - Atualizada em 18/11/2020 às 00h20min

AMGTA publica primeiro artigo de pesquisa sobre sustentabilidade na manufatura de aditivos

A revisão sistemática destaca a importância do uso final do componente e a necessidade de mais pesquisas

DINO

A Additive Manufacturer Green Trade Association (AMGTA), um grupo comercial global criado para fomentar e promover os benefícios ambientais da manufatura aditiva (AM), anunciou hoje a publicação de seu primeiro projeto de pesquisa universitário comissionado, uma revisão sistemática baseada na literatura dos benefícios ambientais do metal AM. O artigo, intitulado “Estado do Conhecimento sobre os Impactos Ambientais da Fabricação de Aditivos de Metal” foi escrito pelo Dr. Jeremy Faludi, da Delft University of Technology, e Corrie Van Sice, do Dartmouth College.

Este comunicado de imprensa inclui multimédia. Veja o comunicado completo aqui: https://www.businesswire.com/news/home/20201117006302/pt/

De acordo com seus autores, o relatório “sintetiza a literatura acadêmica existente comparando os impactos ambientais do metal AM com métodos de fabricação convencionais e fornece contexto com impactos de metais comuns e métodos de processamento encontrados em um banco de dados de materiais”. Seu objetivo “é resumir o conhecimento atual e identificar áreas onde as informações são esparsas, confusas e muito necessárias”. O documento completo está disponível para empresas membros da AMGTA, outras partes interessadas do setor e o público em geral no site da AMGTA em: https://www.amgta.org/resources/.

As principais conclusões do relatório incluem que, embora "AM geralmente tenha pegadas de carbono muito mais altas por kg de material processado do que CM [fabricação convencional] ao considerar o próprio processo de fabricação direta", mas "os impactos dependem muito da geometria da peça - um cubo sólido irá ter um impacto muito menor para produzir por usinagem, enquanto uma casca ou treliça oca pode ter um impacto menor para produzir por AM.” O relatório reconhece ainda a necessidade de estudos adicionais de avaliação do ciclo de vida (LCA) para quantificar os impactos ambientais: “Mais estudos de LCA são necessários para comparar definitivamente o metal AM com o CM; especialmente comparações diretas de AM com usinagem, e especialmente para tecnologias como jateamento de aglutinante e DED. Idealmente, essas LCAs também deveriam incluir mais do ciclo de vida do produto.”

“Foi um prazer trabalhar com o Dr. Faludi e a Sra. Van Sice neste estudo”, disse Sherry Handel, Diretora Executiva do AMGTA. “Ninguém deve esperar que o metal AM seja uma forma mais sustentável de fabricar peças de metal básicas, dada a energia concentrada inerenteàfusão a laser, mas o AM deve apresentar um curso mais sustentável para a fabricação de componentes de precisão acabados.” A Sra. Handel continuou: “Essas descobertas validam os planos da AMGTA de fornecer ao setor pesquisas rigorosas, independentes e contínuas. A AMGTA continuará a encomendar estudos e publicar resultados de pesquisas em um esforço para atualizar a indústria e outras partes interessadas importantes sobre qual é a nossa pegada ecológica agora e no que precisaremos nos concentrar no futuro para sermos mais sustentáveis.”

Sobre os pesquisadores

Jeremy Faludi, Ph.D., um importante pesquisador de engenharia sustentável,foi selecionado pela AMGTA para supervisionar este projeto. O Dr. Faludi é professor assistente de Engenharia de Projeto na Delft University of Technology, Países Baixos, onde se especializou em métodos de design sustentável e impressão 3D verde, e professor adjunto de engenharia na Thayer School of Engineering no Dartmouth College. O Dr. Faludi obteve doutorado em Engenharia Mecânica pela University of California Berkeley, mestrado em Engenharia em Projeto de Produtos pela Stanford University e graduação em Física pelo Reed College.

Corrie Van Sice era uma engenheira de pesquisa sênior no Faludi Lab na Thayer School of Engineering, Dartmouth College. A Sra. Van Sice gerenciou o Green 3D Printing Lab e avaliou as técnicas de AM para definir as melhores práticas de sustentabilidade no setor. Antes de ingressar no Faludi Lab, ela foi a engenheira líder de P&D de materiais e processos na MakerBot Industries em Brooklyn, NY, onde desenvolveu e dimensionou a fabricação de material de impressão. A Sra. Van Sice obteve um Mestrado em Estudos Profissionais do Programa de Telecomunicações Interativas da New York University em 2011.

Sobre a AMGTA

A AMGTA foi fundada em novembro de 2019 para promover os benefícios ambientais da manufatura aditiva (MA) em comparação com os métodos tradicionais de manufatura. A AMGTA é uma organização não comercial e sem vínculos, aberta a qualquer fabricante que adote o método aditivo ou parte interessada do setor que atenda a certos critérios relacionadosàsustentabilidade de produção ou processo.

Os membros fundadores da AMGTA incluem Sintavia, LLC, fabricante líder de aditivos com foco na indústria aeroespacial, de defesa e espacial;Taiyo Nippon Sanso Corporation (uma das empresas operacionais da Nippon Sanso Holdings Corporation), fornecedora de gases industriais estáveis ​​para uma ampla variedade de indústrias globais e QC Laboratories, Inc., um laboratório de testes não destrutivos industriais e comerciais focado em componentes AM.

Os membros participantes da AMGTA incluem AMEXCI AB, Danish AM Hub, EOS, GE Additive, Materialise, National Manufacturing Institute Scotland,Siemens Digital Industries Software, SLM Solutions Inc. e Stryker.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada. As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que tem efeito legal.


Contato:

Sherry Handel

+1 954.308.0888

www.amgta.org


Fonte: BUSINESS WIRE

Link
Notícias Relacionadas »

Você é favorável à reabertura do comércio em Araras?

34.2%
64.2%
1.6%
FALE COM O INDEPENDENTE
Seja Bem-Vindo(a)!
Através deste canal você pode entrar em contato conosco, sugerir pautas, fazer reclamações, falar em nosso departamento comercial ou cadastrar-se para receber as notícias pelo Whatsapp.